O que aprendi sobre aceitar minha imperfeição

3 chamadas para a coragem e o propósito
4 de novembro de 2016
Desenho que fiz inspirado no Ho'oponopono

Desenho que fiz inspirado no Ho’oponopono

Obs. Tem presentinho no fim do post.

Pra estrear meu novo site e esse humilde casulinho de ideias, quero falar sobre algo que me fez estar no mundo de maneira diferente. Esse algo foi o entendimento do que é o Ho’oponopono pra mim.

O Ho’oponopono é uma prece tradicional havaiana que consiste em repetir as curtas frases: “Sinto muito. Me perdoe. Te amo. Sou grat@.” De acordo com o portal brasileiro do Ho’oponopono, essa palavra em havaiano se desmembra em duas pequenas palavras. Ho’o significa causa e ponopono, perfeição. Assim, Ho’oponopono significa causar a perfeição, tornar certo ou corrigir um erro.

Tá, beleza. Mas por que eu estou falando sobre isso?

A história é a seguinte, eu já passei por alguns perrengues na vida, e, num momento de desespero, uma amiga me ensinou essa prece e me disse que repetí-la me acalmaria. Eu fui fazendo meio no automático, sem entender muito o que eu estava fazendo. Na época eu tentava qualquer coisa pra conseguir ficar bem.

Esboço de flores que fiz e queria transformar numa estampa

Esboço de flores que fiz e queria transformar numa estampa

Depois de uns meses, eu comecei a fazer terapia Junguiana, e um dos diversos hábitos que eu consegui inserir na minha vida, graças à terapia, foi o da escrita em fluxo (livremente, sem parar pra pensar). Eu tenho um caderninho que foi batizado de “o caderno da alma“, e nele eu faço esse exercício de calar minha mente e ouvir a voz da minha alma. Com esse exercício, eu comecei a ver as coisas de maneira diferente.

E uma das coisas que mudou drasticamente em mim foi o fato de que eu entendi que sou responsável pela minha própria vida. Sim, é isso mesmo. Eu levei 3o anos pra entender uma coisa tão básica.

Quando eu entendi isso, eu percebi que o quê me mantinha em desespero era o simples fato de que eu acreditava firmemente que tudo que acontecia comigo era culpa das outras pessoas. Foi num desses dias escrevendo em fluxo que o Ho’oponopono voltou à minha memória. Quando isso aconteceu, eu encarei de frente o fato de que eu já fiz muita merda na vida. Eu internalizei que sinto muito por tudo que fiz que machucou outras pessoas e machucou a mim mesma, eu aprendi a pedir perdão pelo que fiz mal, entendi que sou feita de amor e por isso amo a todos os seres , e aprendi a ser grata pelas pessoas que passaram na minha vida, pelas pessoas que ainda se fazem presentes e por todos os ensinamentos que eu tive e tenho com essas relações.

Sneakpeak do wallpaper e poster que você vai receber no seu email. :D

Sneakpeak do wallpaper e poster que você vai receber no seu email. 😀

Aprender isso foi extremamente libertador. Eu saí do lugar de vítima e me responsabilizei pelas minhas ações e escolhas. E nesse processo de pedir perdão, eu percebi quão grande é minha capacidade de perdoar os outros também. Admitindo para mim mesma que eu também errei e erro, se fez muito fácil perdoar os erros e as imperfeições dos outros.

O que eu acho mais lindo do Ho’oponopono é perceber que só através da aceitação das nossas imperfeições que podemos nos colocar no caminho da perfeição. É quase um paradoxo, não é mesmo? É duro admitir que erramos quando crescemos num mundo competitivo sendo ensinados desde pequenos que temos que vencer, ser melhores, etc, etc. A humildade é vista como algo humilhante. As palavras até se parecem, mas são coisas muito diferentes, concorda?

Eu queria expressar no meu desenho esse aprendizado.

Foi então que fiz esse esboço que você pode ver aqui do lado e acima. Desenhei também umas flores e encasquetei que queria fazer uma estampa pra compor o desenho. Não fiquei feliz com o primeiro resultado e fui procurar minha amiga Mairusa —que é designer de estampas!— pra ver se ela queria criar algo junto comigo. O resultado foi maravilhoso! Mairusa me enviou uma explosão de cores e eu fiquei extremamente feliz ao ver como dois corações trabalhando juntos podem produzir algo tão único. Nós criamos um cadáver esquisito e único.

 

Essa nossa parceria —que foi carinhosamente batizada com o nome de Massala — ainda vai dar muitos frutos. Pra saber mais sobre ela e receber o presente que eu prometi no início desse post, assina aqui minha newsletter. Você vai receber o resultado da nossa primeira criação juntas na forma de um wallpaper e de um pôster A3 pra imprimir e colocar onde quiser.


Você já conhecia o Ho’oponopono? Achou que os meus insights fizerem algum sentido pra você?

Participa dessa conversa comigo. Comenta aí, ou me manda um e-mail ou mensagem privada em qualquer rede social se for mais tímido. Eu vou adorar saber o que você pensa sobre o assunto. Sempre tenho trocas muito ricas quando converso sobre meus aprendizados com os meus amigos. 😀

8 Comentários

  1. Raphael Gomes disse:

    Que texto mais lindo! Parabéns pelo novo site e pelas descobertas! Já tinha escutado essa palavra Ho’oponopono, mas você explicou de forma fácil e amigável. Quero receber novidades! 😀

  2. Mairusa disse:

    Obrigada por dividir comigo sua sabedoria e seus desenhos maravilhosos! Te amo, irmã de alma!

  3. Melina disse:

    Goura, sua linda! Amei demais seu texto, obrigada por compartilhar! <3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *