Ressignifica [o corpo]

Sobre o amor
26 de dezembro de 2016
Ressignifica [1]
14 de setembro de 2017

Obs. Como eu adoro séries de posts, essa é a introdução de uma série sobre ressignificação de palavras.

Introdução da série “ressignifica

Faz tempo que desenho o corpo. Mais especificamente a expressão do corpo. E quase sempre, a expressão do corpo nu. Começou de forma meio inconsciente. Quando percebi, estava me apropriando do meu corpo. Do corpo do qual me envergonhava. Do corpo que tinha que cobrir e esconder.

Ao mesmo tempo em que estava retratando meu corpo e diversos outros corpos com lápis no papel, estava também fazendo trabalhos corporais. Botando o corpo em movimento. Me apaixonei pelo circo e não passa um dia em que eu não faça estripulias no ar e alongamentos conscientes. Conheci uma artista fenomenal e comecei a participar de performances que questionam o limite/distância/separação entre meu corpo e outros corpos.

Gosto muito de ler e não terminar nenhum livro. Dessa forma, fui de Jung a Foucault a Zizek a Reich e ao Tantra, numa fome anti-repressiva. Percebi que a vergonha do nu, a repressão sexual, a miséria afetiva… tudo estava interligado. E eu, silenciosamente, estava, e ainda estou, trabalhando essa libertação.

Sinto um turbilhão de palavras engasgado na minha garganta. Mas que palavras são essas? O que elas significam? Como expressá-las? Fui me dando conta de palavras que oprimem. E comecei a pensar: como posso me apropriar delas? Como me apropriar dessas palavras da mesma forma que estou me apropriando do meu corpo?

Podem usar seu corpo contra você. A nudez que ofende a moral e os bons costumes. O corpo feminino que é culpado pelo abuso que sofre…

Podem usar palavras contra você. Luxuriosa, promíscua, vulgar. Suja. Suja. Suja.

Essa foi a linha de pensamento que me levou a criar pôsteres que fiz em parceria com a designer Mairusa, dentro da nossa empreitada querida chamada MassalaComo percebo que quero me expressar além do desenho, além do corporal [ quero falar ], cada pôster vem acompanhando de um breve texto de desconstrução de significados.

 

A série de post-pôsteres vai ser iniciada na próxima semana. Por enquanto, mostro minha sequência de estudos do movimento do corpo intitulada “Prazer”. Prazer está disponível pra ser adquirido em forma de pôster e em outros produtos nas nossas lojas virtuais no Colab55 e no Society6.

Comentários são bem-vindos e alimentar essa discussão vai me dar muito prazer. <3

“Apenas na medida em que se percebe o próprio corpo, pode-ser perceber outros corpos, e só quando se percebe a si mesmo como uma pessoa é possível sentir outra.”

— Alexander Lowen

No próximo post, o primeiro pôster da série sobre a palavra luxúria.

 

2 Comentários

  1. Raphael disse:

    Que lindo!! Adorei esses estudos chamado Prazer!! *__*

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *